Constituído por proteína, vitamina A e minerais, o colostro é a primeira secreção que sai do seio da mulher e que é desenvolvido durante a gravidez.

Transparente, de coloração amarelada, com aparência viscosa, é um líquido aglomerado nas células alveolares nos últimos meses de gestação e secretado nos primeiros dias após o parto, e favorece a multiplicação de lactobacillus bifidus, que por sua vez beneficia o aumento da flora intestinal e facilita a expulsão do mecônio.

Há uma grande preocupação por parte das mães no início da amamentação pela particularidade “rala” do colostro, pois algumas mulheres têm a convicção de que esta substância não suprirá as necessidades nutricionais do bebê e isto não é verdade. O colostro é imprescindível, pois é composto por todos os fatores de proteção e, capaz de alimentar o bebê até o instante em que se transformará em secreção láctea branca – elemento conhecido como apojadura láctea e que pode ocorrer até o décimo dia após o parto.

A cada mamada, a quantidade de colostro varia. Entretanto, mulheres que já amamentaram o produzem com mais facilidade, o que colabora para o aumento da quantidade secretada. A produção do colostro é exclusiva, além de inteligente. Cada mãe produz um colostro, distinto, de acordo com as necessidades de seu filho em específico, que podem modificar com a idade gestacional em que o bebê nasceu, o peso ou as doenças que ele venha a desenvolver.

Vantagens do colostro para o bebê:

  • A primeira e a melhor vacina que se conhece.
  • Tem um aspecto cremoso e por isso é de fácil digestão.
  • Tem uma função protetora do tubo digestivo do bebê.
  • Tem um efeito laxante que vai ajudar o bebê a expulsar o mecônio e a limpar o tubo digestivo.
  • Diminui o risco de icterícia no bebê (doença caracterizada pela pele amarelada).
  • Reduz o risco de síndrome de morte súbita.

Fica então o conselho: inicie o aleitamento materno o mais cedo possível, e deixe o seu bebê desfrutar das grandes vantagens do colostro.