A prática regular de exercícios físicos é extremamente importante para a nossa saúde. Mas saber ao certo quais os resultados a longo prazo no peso e na composição corporal das mulheres é questionável. No entanto, um estudo recente acompanhou mulheres adultas jovens por 12 anos e as conclusões são surpreendentes. 

Foram analisados os efeitos do volume de treinamento assim como a composição corporal dessas mulheres em diferentes idades. As participantes desse estudo australiano foram acompanhadas de 2000 a 2012 e divididas nos grupos das pouco ativas, as ativas e as muito ativas. 

Nas mulheres com composição corporal normal (percentual de gordura entre 18 e 28%) houve relação clara com maior volume do treinamento. Nas mulheres que estavam sobrepeso ou obesas foi observada irregularidade ou prática diminuída de exercícios físicos. Além disso, esse estudo mostrou também que a importância do exercício físico para manutenção do peso parece ser mais importante nas mulheres entre 28 e 36 anos de idade.

Estes resultados confirmam que a manutenção da prática regular de exercícios físicos com um bom volume de treinamento ao longo da vida irá reduzir significativamente o risco do excesso de peso ou ao desenvolvimento da obesidade nas mulheres. Assim, parece também haver um período crítico na vida da mulher onde o risco de diminuir o volume do treinamento é maior, o que coincide quando muitas dessas mulheres enfrentam demandas familiares como de cuidar de bebês e crianças pequenas.

 

Qual o risco da composição corporal alterada?

O percentual de gordura elevado na mulher (>28%) pode conferir um risco maior para doença cardiovasculares nas mulheres. Os riscos para a saúde associados com a alteração da composição corporal são inúmeros e incluem: aumento marcadores inflamatórios, dislipidemia, resistência à insulina e esteatose hepática. 

 

Como avaliar a minha composição corporal e o percentual de gordura?

O acompanhamento da composição corporal é importante para a prevenção das doenças crônicas, das doenças cardiovasculares e das alterações endócrinas. A análise da composição corporal pode ser feita por um profissional da área da saúde através de vários métodos como, por exemplo, a bioimpedância. Mulheres devem manter uma percentual de gordura fisiológico aproximado de 18 a 28% e nos homens de 10 a 20% (em ambos os sexos pode variar com a idade do indivíduo). Importante lembrar também a importância da análise da massa muscular esquelética que deve estar nos limites da normalidades evitando assim um quadro de sarcopenia (perda da massa muscular) que normalmente acomete os indivíduos com mais de 50 anos. 

 

Por Dr. Guilherme Renke – Médico pela Universidade Estácio de Sá, com pós-graduação em Cardiologia pelo Instituto Nacional de Cardiologia INCL RJ e Endocrinologia pela IPEMED. Membro da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, Membro do American College of Sports Medicine, Membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Membro do Departamento de Ergometria e Reabilitação da SBC, Médico pós-graduado em endocrinologia e metabologia da Nutrindo Ideais e colunista da página Eu Atleta – Globo.com

Referências:

1 – Pavey et al. Long-term Effects of Physical Activity Level on Changes in Healthy Body Mass Index Over 12 Years in Young Adult Women. Mayo Clinic Proceedings. 2016 Volume 91, Issue 6, Pages 735–744