Arroz, feijão, carne e salada. Tudo preparado com muito amor e carinho, e mesmo assim as crianças dizem que não querem ou que não gostam. Essa dificuldade que a criança tem em aceitar uma refeição variada pode ter explicação lá na gravidez.

Estudos apontam que o paladar do bebê começa a se desenvolver ainda dentro do útero da mãe, em torno da 14ª semana de gestação. Isso porque o líquido amniótico que envolve o bebê contém sabores e odores distintos que já podem ser percebidos pelo feto.

Assim, de acordo com o tipo de alimentação realizada pela mãe, serão originados flavors específicos para o líquido amniótico. Como o bebê ingere esse líquido o tempo inteiro, ele é exposto a uma variedade de substâncias que contém os flavors da alimentação materna. Estudos mostram que isso pode levar o bebê a aceitar mais facilmente – e até mesmo preferir – os alimentos consumidos regularmente pela mãe durante a gestação.

Por isso, as mães devem se preocupar em ter uma dieta bem variada e saudável desde a gestação para que os seus filhos aceitem melhor os alimentos na fase de introdução da alimentação complementar e também construam bons hábitos alimentares ao longo da vida.
 
 
 
Dica da Nutri:
Estar grávida não significa se permitir e liberar tudo com as mil “vontades” e gostos diferentes. Mas escutar o organismo, acompanhar exames e buscar variar ao máximo a alimentação com comida limpa, orgânica e nada de produtos químicos. 
Pensem nisso na hora de se alimentar e tenham cuidado com os excessos!