Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil vive o maior surto de febre amarela silvestre das últimas décadas. Por isso, o governo federal iniciou uma campanha emergencial de vacinação com o objetivo de imunizar cerca de 20,6 milhões de pessoas nas novas áreas de concentração da doença, entre janeiro e março.

Junto com o aumento de casos de febre amarela, as dúvidas também surgem em grande proporção: a vacina funciona mesmo? A partir de qual idade pode tomar? Qual a diferença entre a vacina de dose inteira e fracionada?

As nossas pediatras Dra. Bianca Mello e Dra. Laura Machado responderam algumas dessas questões, confira:

O que é a Febre Amarela e como o seu vírus é transmitido?
A febre amarela é uma doença infecciosa febril de causa viral, transmitida através de mosquito, que possui dois ciclos diferentes de transmissão: silvestre e urbano.
Na febre amarela silvestre os macacos são os principais hospedeiros (e não transmissores!) e o homem é o hospedeiro acidental, ao adentrar a área da mata ou em regiões próximas.
A febre amarela que temos hoje no Brasil é de transmissão silvestre, pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes (o macaco não é o transmissor e sim vítima, assim como o homem!).
É importante ressaltar que o vírus é transmitido somente pela picada dos mosquitos infectados e não há transmissão de pessoa a pessoa.

Quais os sintomas da doença?
Os sintomas podem ser bastante inespecíficos, lembrando outras doenças virais como a gripe, por exemplo.
Outros sintomas incluem febre, mal-estar, vômitos, dores pelo corpo, pele e olhos amarelados, sangramentos, fezes bastante escurecidas e diminuição da urina.

Informações sobre a vacinação:
Atualmente em 21 Estados está indicada a vacinação: Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina;
A Vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença e é constituída de vírus vivo atenuado;

Dose Inteira x Dose Fracionada

O uso da dose fracionada foi recomendada pelo próprio Ministério da Saúde, para realizar a cobertura vacinal de forma rápida e eficaz, em toda a população.

A vacina é exatamente a mesma, porém, o que muda é a quantidade.
A vacina fracionada contém 0,1 mL do soro, ou seja, 1/5 da dose padrão, que é 0,5ml. A dose padrão é considerada altamente imunogênica, com resposta e eficácia para toda a vida, ou seja, só precisa ser vacinado uma única vez.
A vacina fracionada foi indicada para o momento epidemiológico atual, e tem validade de 8 anos, porém mais estudos precisam ser feitos.
A dose fracionada da vacina de febre amarela é recomendada apenas para maiores de 2 anos de idade, pois a resposta imunológica em crianças é menor, e não garante proteção com a dose fracionada.

Vacinação em Gestantes e Crianças:
✔ Crianças de 6 a 9 meses de idade: só área endêmica recebe a vacina ou em casos específicos (indicação médica);
✔ Acima de 9 meses de idade: já podem receber a vacina;
✔ Gestante em região endêmica pode receber a vacina;
✔ Mães amamentando podem receber a vacina acima de 6 meses do bebê (em caso de mães com bebês abaixo dos 6 meses, conversar com o pediatra, pois alguns casos específicos podem ser vacinados, desde que alguns cuidados sejam tomados com a amamentação);
✔ Bebês, crianças ou adultos alérgicos ao ovo devem tomar muito cuidado e conversar com alergista antes da vacinação.

Quem não deve tomar a vacina?
A vacina é contraindicada para crianças menores de 6 meses; idosos acima dos 60 anos; gestantes; mulheres que amamentam crianças de até 6 meses; pacientes em tratamento com quimioterapia e doses ELEVADAS de corticosteróides (dose imunossupressora); pessoas com alergia a ovos ou algum componente da vacina; e pessoas com doença febril aguda, com comprometimento do estado geral de saúde.
Atenção: nesses casos descritos acima é muito importante conversar com o médico para avaliar o risco ❌ benefício de receber a vacina!

Uso de Repelentes:
✔ Menores de 6 meses: não podem usar repelentes tópicos então priorizar medidas de BARREIRA (proteção com tela, mosqueteiro, uso de mangas compridas e calças compridas, repelentes de tomada e alguns repelentes podem ser borrifados na roupa da criança (esperar secar para vestir),
✔ Acima de 6 meses: podem e devem usar repelentes tópicos específicos para a idade, de preferência com a presença da substância icaridina.

Para residentes em áreas com recomendação para vacinação (mesmo que temporária) e para indivíduos que se deslocam para estas áreas: vacinar todos entre 9 meses a 59 anos de idade, desde que não apresentem contraindicação.

Vale ressaltar que a vacina deve ter aplicada pelo menos 10 dias antes da viagem para estas áreas.

O nosso país está em alerta. Procure um posto de saúde e vacine-se!