Nos primeiros dias de vida do bebê, muitas mudanças acontecem em seu organismo e, como consequência, as suas fezes se alteram a cada nova fase. 
 
As alterações podem se tornar motivo de atenção e preocupação para os pais, mas algumas estão apenas acompanhando o amadurecimento do bebê.
 
Então vamos lá, bem resumidamente vou esclarecer algumas dúvidas principais:
 
Crianças que mamam somente no peito (aleitamento materno exclusivo) podem evacuar 10 – 12 vezes por dia! É isso mesmo que você leu! Elas podem evacuar inclusive a cada mamada sem que isso seja uma DIARREIA. 
 
Os bebês possuem o reflexo gastro-cólico (reflexo do estômago-intestino) bastante exacerbado, ou seja, o leitinho passa pelo trato gastrointestinal muito rapidamente, principalmente porque é muito BEM (e facilmente) digerido! .
 
Crianças que mamam somente no peito podem, ao invés de evacuar toda hora, ficar até 7 – 10 dias sem evacuar! Nessa hora NÃO tem um pai ou uma mãe que não arregalam os olhos, mas é isso mesmo!!! Os recém nascidos as vezes apresentem um quadro que chamamos de pseudo constipação. 
 
Nesses casos, DESDE QUE o bebê esteja bem clinicamente, se alimentando bem, dormindo bem, se desenvolvendo bem, com a barriguinha tranquila, ou seja, SEM NENHUMA OUTRA ALTERAÇÃO, não há nada a fazer a não ser aguardar. 
 
Infelizmente já vi muita gente prescrevendo supositório, laxante e até lavagem intestinal para recém nascidos normais, em aleitamento materno exclusivo porque não evacuavam há 2 – 3 dias. 
 
As fezes do bebê mudam MUITO ao longo do primeiro ano de vida e, principalmente, após a introdução alimentar. Da mesma forma que o leite materno muda A CADA MAMADA, obviamente as características da evacuação também irão mudar. 
 
Mais do que se preocupar com o normal, já que existem muitas variações, prefiro orientar as famílias dos meus pequenos quanto aos sinais de alerta: presença de sangue, pus, muco ou ausência de coloração nas vezes (evacuação branca), aí sim é preciso procurar ajuda o quanto antes. .
 
Lembrando que nada substitui uma consulta médica.
 
Ah…e essas orientações são para bebês em aleitamento materno. No caso do uso de fórmulas, isso muda, mas isso é assunto para o próximo post!
 
Por: Dra. Bianca Mello Soto
Pediatra da Nutrindo Ideais