Pesquisa publicada no The Journal of Strength Conditioning Research sugere que o consumo de suplementos de capsaicina, componente presente em pimentas e gengibres, melhora o desempenho físico em corridas de rua. #corridaderua #pesquisa #BlogCorridaParaTodos #nutrição

O trabalho foi realizado em parceria com pesquisadores da Universidade Estadual de São Paulo, da Universidade Federal do Piauí e Coastal Carolina University. Em ocasiões diferentes, os participantes (homens com idade média de 23 anos) tomaram um placebo 45 minutos antes de uma sessão de corrida de 1.500 metros. Na outra ocasião, consumiram um suplemento com 12 miligramas de capsaicina para realizar a mesma atividade. Os pesquisadores verificaram que depois de tomar o placebo, os homens completaram os 1.500 metros em 376,7 segundos, enquanto que após o uso do suplemento de capsaicina, eles percorreram a distância em 371,6 segundos: cinco segundos a menos, e com menor percepção de esforço.

Após os testes, o estudo concluiu que a suplementação aguda de capsaicina pode ser usada como uma estratégia nutricional para melhorar a performance durante 1.500 m de corrida, reduzindo a taxa de esforço percebido, podendo servir de sugestão para os corredores amadores que buscam uma melhora em seus desempenho esportivo. No ano passado, o grupo já havia publicado no The Journal of Strength Conditioning Research uma pesquisa que relaciona o uso da capsaicina no trabalho de força e resistência aos atletas.

Mas será que comer a pimenta em natura, seria bom também? Dr. Francisco Tostes, endocrinologista membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), especialista em emagrecimento e atividade física, e sócio da Clínica Nutrindo Ideias (RJ e SP), explica que o consumo de alimentos ricos em capsaicina tem potencial efeito benéfico na prevenção de quadros inflamatórios, por exemplo. “Para fins terapêuticos a dose necessária só pode ser alcançada através de suplementação”, explica o endocrinologista.

E se você gosta de pimentas, Tostes destaca que a malagueta e o pimentão fazem parte do grupo de plantas e frutos que possuem mais estes compostos capsaicinoides.

Benefícios da capsaicina: acreditam que ela tenha ações analgésica, antioxidante, anti-inflamatória e anticâncer, além de ajudar a combater obesidade. O principal mecanismo para tantos benefícios é a maior ativação das mitocôndrias que fazem com que mais energia chegue às células, melhorando assim seu funcionamento.

Ação no organismo: a capsaicina é conhecida por acelerar o metabolismo através do seu estímulo às mitocôndrias, responsáveis pela geração de energia para as células, o que acaba também contribuindo em melhor rendimento físico. Acredita-se ainda que seu consumo possa disponibilizar maior quantidade de glicogênio no fígado, um importante combustível para geração de energia, o que melhora parâmetros como força, resistência e percepção de fadiga.

Consumo: é necessário entender o perfil do praticante de atividade física e se há restrição especificamente para algum suplemento. Especialmente quando se fala em termogênico, temos que ser cautelosos. Não precisa ser consumido imediatamente antes da atividade física e pode ser usado diariamente. 3,5g de pimenta vermelha ou malagueta contém esta dose de capsaicina.

Outras opções de suplementos: suplementos como cafeína e creatina são comumente utilizados para esta finalidade.

Fonte: https://esportes.estadao.com.br/blogs/corrida-para-todos/pimenta-e-gengibre-melhoram-a-performance-na-corrida/