Correria típica das grandes cidades, instabilidade econômica, insegurança em relação ao futuro, violência… São muitas as situações que podem estar ligadas ao transtorno de ansiedade, doença que cresce no Brasil e atinge pelo menos 10% da população, segundo a Organização Mundial da Saúde. Este alto percentual nos dá o amargo título de país mais ansioso da América Latina. Além de buscar tratamento com especialistas, existem algumas orientações que podem aliviar os sintomas de ansiedade e ajudar durante as crises.

O transtorno de ansiedade, de acordo com Higor Caldato, psiquiatra membro da Associação Brasileira de Psiquiatria, pode causar palpitação, falta de ar, tremores e sudorese. Outro sinal que a ansiedade comum passou dos limites é quando a pessoa começa a ter prejuízos na vida social, trabalho ou pessoal. “Ou seja, a ansiedade torna-se um transtorno quando causa limitações ou sofrimento”, explica. Nesses casos, o aconselhado é  buscar ajuda de profissionais de saúde que possam avaliar cada caso e orientar o tratamento mais adequado, com terapia, medicação, ou os dois.

 

Por que somos tão ansiosos?

Pensando em hipóteses possíveis que expliquem o crescimento desse diagnóstico no Brasil, Caldato associa nossos números alarmantes ao contexto político-econômico conturbado, à desigualdade social, a traumas de infância e à violência urbana, alguns velhos conhecidos dos brasileiros. “O estresse também é um fator de risco – ainda que não necessariamente uma pessoa estressada ou que tenha sido exposta a uma situação estressante necessariamente vá desenvolver algum transtorno desse tipo, mas é importante saber que pessoas vulneráveis a esses transtornos podem reagir pior se submetidas ao que chamamos de fatores estressores”, esclarece.

Na busca por combater a ansiedade, o psiquiatra tem algumas orientações que podem ajudar a aliviar os sintomas e que é possível começar a seguir hoje mesmo.

1- Preste atenção no pensamento negativo. Escute o que ele tem a dizer e observe se está dimensionado de acordo com o que você realmente vai enfrentar. Depois, mentalmente, mande-o embora.

2- Atenção à respiração. Num momento de muita ansiedade, pare e respire profundamente três vezes. Isso ajuda a aliviar tensões e a retomar o foco no presente.

3- Treine a gratidão. Observe o aqui agora em vez de focar as preocupações no futuro e em fatos que sequer têm chances reais de acontecer. Agradecer a si mesmo o presente ajuda a valorizá-lo.

4- Se está difícil desabafar suas angústias, escreva. Projetar no papel colabora para organizar o pensamento.

 

Fonte: https://blog.bodytech.com.br/4-dicas-para-aliviar-a-ansiedade/