A primeira fase de alimentação do bebê é quando ele começa a descobrir novos sabores. A apresentação alimentar é um processo lento em que o leite materno continua em livre demanda, complementando o alimento e vice-versa. Confira dicas para esse processo ser mais prático e saudável!

1. Amamentação
O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde orientam que as mães amamentem seus filhos em livre demanda desde o nascimento até os dois anos ou mais, já que o leite materno fornece para as crianças as células de defesas da mãe, garantindo assim melhor imunidade e evitando doenças respiratórias ou intestinais no bebê. Porém, segundo a nutricionista Luna Azevedo, a introdução alimentar deve ser feita aos seis meses.

2. Apresentação alimentar
Primeiro devem ser introduzidas as frutas, principalmente as mais moles como banana, mamão, manga, abacate, pêssego, caqui, melancia e ameixa. Depois são introduzidos os cereais e tubérculos (arroz, aipim, batata-doce, macarrão, batata, mandioca, mandioquinha, inhame), leguminosas e legumes (feijão, lentilha, ervilha seca, soja, grão-de-bico…), de preferência bem cozidos. Para Luna, não há necessidade de liquidificar os alimentos. “O ideal é oferecê-los separadamente no prato para que sejam observadas as possíveis reações alérgicas”, diz.

3. Temperos
Não se deve usar sal durante a preparação, pois a criança ainda não possui paladar para esse tempero, segundo a nutricionista da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), Sizele Rodrigues. “Já temperos naturais como alecrim, manjericão, cebolinha, salsinha e tomilho podem e devem ser utilizados para dar sabor à comida”, completou Sizele.

4. Vitaminas
É necessário maior atenção ao ferro, zinco, cálcio, vitamina D e vitamina b12, de acordo com Luna..

5. O processo
O passo a passo é simples: na primeira semana deve ser oferecido apenas uma fruta pela manhã e continuar com a amamentação. Os pais devem repetir por dois a três dias a mesma fruta antes de introduzir a próxima. Durante a segunda semana, o ideal é oferecer a fruta de tarde. Na terceira semana é introduzido o almoço com alimentos cozidos, mas não precisam ser amassados, também deve-se esperar três dias para introduzir uma nova combinação de almoço e, por fim, na quarta semana, introduzir o jantar.

A Luna Azevedo ainda dá uma dica importante: introduzir 50 ml, em média, de água para evitar a constipação. Uma vez que, ao passar do aleitamento exclusivo para alimentação complementar, a quantidade de fibras aumenta.

 

Fonte: https://revistacasaejardim.globo.com/Casa-e-Jardim/Bem-Estar/Saude/noticia/2019/06/tudo-o-que-voce-deve-saber-para-fazer-introducao-alimentar-ao-seu-bebe.html