Conheça os benefícios da Moringa, a planta que é um superalimento

clipping-moringa3

Uma planta verde, com folhas arredondadas, vêm sendo apontada como um novo – e até mesmo milagroso – superalimento. Trata-se da moringa, originária da Ásia e da África e que cresce em áreas semiáridas tropicais e subtropicais. Aqui no Brasil ela é conhecida no Maranhão desde 1950.

Dentre os muitos benefícios da moringa está a melhora da pressão arterial e da glicose; redução do colesterol; melhora nas dores das articulações e até no combate à anemia, asma e fortalecimento do sistema imunológico.

Mas as qualidades da planta não param por aí. Conhecida como uma árvore milagrosa, da moringa é possível aproveitar quase tudo: as folhas, raízes, vagens, flores, cascas, sementes e frutas. A medicina ayurveda também já conhece a planta e a utiliza para o tratamento de mais de 300 doenças. Ela também atua como repelente e, ainda, ajuda a combater a leishmaniose.

LIVRO SOBRE MORINGA

O médico americano especializado em medicina anti-envelhecimento, Howard Fisher – autor de 17 livros sobre saúde, praticante da medicina natural e especialista em antienvelhecimento– escreveu uma obra sobre ela. Em “Moringa Oleífera: Magic, Myth or Miracle?” (Moringa Oleífera: mágica, mito ou milagre?), ele reforçou a sua riqueza.

Fisher mostrou no livro porque ela é chamada de Árvore dos Milagres. Segundo estudos revelados por ele, a moringa tem tanta proteína quanto qualquer outra fonte animal e contém aminoácidos essenciais. Vitaminas C, A, do complexo B, cálcio, ferro, potássio, ômegas e até hormônio vegetal que atua no antienvelhecimento estão contidos na composição de suas folhas.

A nutricionista Luna Azevedo, com especialização em Ortomolecular e Fitoterapia, e sócia da Clínica Nutrindo Ideais, no Rio, disse que a planta vem ganhando espaço como um alimento funcional graças a estudos e também pelo momento em que  vivemos, que valoriza a sustentabilidade principalmente de alimentos como ela, que pode ser aproveitado como um todo: raízes, caule, folhas. “A moringa tem ação benéfica com: diurética, reguladora da pressão e diminuição do colesterol. Ela também auxilia no trato gastrointestinal, no combate ao câncer e também regula o hipertireoidismo e é antimicrobiana. Em suas características nutricionais é uma excelente fonte de proteína, vitaminas e minerais”, enfatiza Luna, que acrescenta: “Segundo estudos mais recentes, ela tem sete vezes mais vitamina C que a laranja; quatro vezes mais cálcio que o leite; duas vezes mais proteína do que o iogurte; quatro vezes mais vitamina A que a cenoura; três vezes mais potássio que a banana; 27% de proteína equivalente à carne do boi e mais ferro que o espinafre. As vitaminas presentes nela são: A, B (tiamina, riboflavina, niacina), C, E, e beta caroteno. Os mineiras existentes nela são: cromo, cobre, fósforo, ferro, magnésio, manganês, potássio, selênio e zinco.”

CONTRAINDICAÇÃO

Apesar de toda essa riqueza nutricional, Luna alerta que o uso da planta deve ser acompanhado por um especialista pois a moringa tem contraindicações: “É importante ressaltar que seu consumo ou suplementação não deve ser feito indiscriminadamente. É necessário indicação e dosagem adequadas. As folhinhas da moringa oleífera não são recomendadas sem autorização e acompanhamento médico para quem tem problemas na tireoide ou qualquer outro causado pela ingestão de iodo. Gestantes e lactantes também não devem consumi-la”.

Ao todo existem 13 variedades da moringa, que é da família moringaceae. As mais comuns são a moringa oleífera e a moringa stenopetala. Sua árvore cresce muito rápido e pode atingir até 12 metros de altura. O sabor das folhas é levemente picante e lembra muito o do agrião. Das sementes se extrai um óleo que pode ser usado em vários pratos.

Graças a toda essa riqueza nutricional, a moringa vem sendo usada para matar a fome no Senegal, na África. Médicos que atuam naquela região ensinaram os moradores locais formas de consumir a planta. Para as mães, foi orientado que elas incluam o pó da moringa em suas refeições para ajudar no período da amamentação.

MORINGA PARA HIGIENIZAR A ÁGUA

Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal do Ceará e publicada na Revista Ciência Agronômica, descobriu que ela também serve para o tratamento da água para uso doméstico. As sementes da moringa são uma alternativa aos sais de alumínio, muito utilizados na purificação da água em todo o mundo. Comparada com o alumínio, suas sementes não alteram o pH e a alcalinidade da água após o tratamento. Extratos de moringa diminuem o barro e bactérias contidas em águas não tratadas. No Sudão, elas foram testadas e removeram 90% das impurezas da água.

COMO CONSUMIR A MORINGA

Ela pode ser consumida sob a forma de chá, triturada em pó ou via cápsulas vegetais. Misturadas a sucos ou vitaminas também é uma boa pedida. Suas folhas lembram o gosto do agrião e comê-las em salada é bem saboroso. Luna Azevedo dá a dica de como levá-la para o prato. “Suas folhas e flores são comestíveis para humanos e animais. Das flores se faz um prato apreciado na Indonésia e Timor Leste, chamado makansufa. As flores são fritas em óleo de coco e imersas em leite de coco, sendo comidas com arroz ou milho. O suco das flores ou folha pode compor caldos ou molhos na sua forma natural para preservar vitaminas e sais minerais. É excelente no tratamento para redução de peso, e por ser rica em nutrientes, facilita uma reeducação alimentar sem agressão ao corpo e ao metabolismo.”

 

 

Fonte: bebang